DESENVOLVIMENTO COGNITIVO NO TEA




Olá professor,

Você sabe o que é Desenvolvimento Cognitivo no Autismo?

Cognição é o ato ou processo de conhecer, que envolve atenção, percepção, memória, raciocínio, juízo, imaginação, pensamento e linguagem.

E o Desenvolvimento Cognitivo depende do envolvimento de várias outras funções e a boa desenvoltura de todas estas funções acima mencionadas.

Porém observar como a criança reage aos estímulos e quais as habilidades e dificuldades, faz toda a diferença para um diagnóstico precoce de Autismo por exemplo.

Pois no TEA existem características e déficits destas funções cognitivas. Dificuldades que podem ser estimuladas em sala de aula, e ‘é exatamente sobre isto que você vai ler nesta matéria em nosso Blog.

Quais são as características das funções cognitivas no TEA, como é o desenvolvimento destas cognições e como estimular esta criança para que ela possa superar muitas limitações!


O DESENVOLVIMENTO COGNITIVO NO AUTISMO
E A ESTIMULAÇÃO EM SALA DE AULA

O chamado Transtorno do Espectro Autista, mostra-se como um conjunto de transtornos graves que se apresentam de forma bastante singular, não podendo ser generalizado.

Porém algumas características são bastante representativas desse quadro, como as dificuldades na interação social, na comunicação e no comportamento.

Mas no Transtorno do Espectro Autista, existem algumas peculiaridades, onde a criança pode apresentar dificuldades de comunicação, mas ser prodígio em algumas áreas como os números, por exemplo, ou a música.

Isto acontece porque muitas áreas cognitivas podem estar preservadas no quadro autista, que são chamadas ilhas de precocidade.

Esse é um dos fenômenos mais fascinantes no autismo, essas “ilhotas de habilidades especiais”, que são áreas preservadas ou altamente desenvolvidas que chamam muito a atenção devido a todos os déficits encontrados. 

Tarefas que exigem habilidades de raciocínio verbal e compreensão social, habilidade de formação de conceitos verbais, déficits significativos no raciocínio abstrato são alguns pontos claros de dificuldades na avaliação cognitiva.

Cognição é o ato ou processo de conhecer, que envolve atenção, percepção, memória, raciocínio, juízo, imaginação, pensamento e linguagem.

Os déficits cognitivos no autismo podem incluir, mas não estão limitados á:
·         Linguagem;
·         Memória de curto prazo (manipulação mental de informação);
·         Associações contextuais para dar suporte à memória;
·         Memória para informações visuais complexas (integração);
·         Dificuldades de função executiva;
·         Atenção alternada e seletiva.

Baseado no desenvolvimento cognitivo infantil, onde percebe-se alguns déficits como mencionado acima. Conheça algumas características da memória, da linguagem, apraxia, atenção e habilidades sensoriais. E desta forma, entenda melhor como estas funções cognitivas podem ser trabalhadas na criança autista.

Memória: alterações podem acontecer na memória de curto prazo, e na memória de aspectos sociais.

Linguagem: problemas de comunicação verbal- e não verbal, na linguagem semântica: dificuldades para entender palavras e frases. Na linguagem pragmática, há prejuízo na compreensão da linguagem dentro de um contexto social.

Dispraxias Motoras: alterções como andar na ponta dos pés, marchar de forma irregular, estereotipias, déficits no planejamento motor, dificuldade na imitação.

Percepção Sensorial: hipo ou hipersensibilidade a certos estímulos, sensibilidade ao som e luz, rejeição ao contato físico, resistência a dor, inclusive em casos de automotivação.

Perfil Intelectual: 70% apresentam algum grau de retardo mental, a maioria possui melhor desempenho em tarefas que exigem memorização ou processos mecânicos. Porém apresentam dificuldades em tarefas que exigem raciocínio, abstração ou interpretação.

Além dessas características das funções cognitivas nos autistas ainda podemos observar que a maioria possui um processamento perceptivo mais focado em detalhes por exemplo do que na visão em seu contexto geral. Além da dificuldade em manter a atenção ou dividi-la.

De acordo com estas características, existem algumas atividades que podem ser feitas, que contribuem muito para o desenvolvimento cognitivo da criança, trabalhando sua motricidade fina e ampla, sua ludicidade e também suas noções de lateralidade e coordenação motora. E que se pode notar um grande avanço em sala de aula.

  •          Recorte e colagem (papel picado, grãos, contas).
  •           Amassar os papéis picados.
  •          Pintura a sopro, a dedo e/ou a pincel.
  •           Participar de brincadeiras rimadas e ritmadas, cantigas de roda, canções folclóricas.
  •      Exercícios para desenvolver a lateralidade (andar em linha reta; curva; ziguezague, andar em pistas limitadas com fita, etc.…)
  •       Corrida de cavalinho: fazer uma fila com as crianças e colocar pequenos obstáculos como latinhas, saquinhos de areia, espalhados pela área em círculo. Ao sinal de um apito, palmas, as crianças saem correndo procurando saltar os saquinhos.
  •          Manipulação de material de sucata.
  •          Reconhecer os sabores, doce, salgado, amargo, azedo.
  •          Brincar com água, terra, argila, areia, barro.
  •          Reconhecer e nomear partes do seu corpo e dos outros.


E como principal atividade podemos destacar para o professor, conversar com as crianças ao máximo, aproveitando todos os momentos, tendo como temas sua família, seus brinquedos, suas brincadeiras.

Sabemos também que cada criança autista, é única e pode apresentar resistência a alguma atividade ou habilidades em outra. Por este motivo vale ressaltar toda a paciência.

Além da suma importância do olhar neuropsicológico, para que assim a reabilitação cognitiva seja realizada em paralelo à intervenção multidisciplinar, auxiliando em todo o desenvolvimento global afetado.

Gostou deste conteúdo?
Temos um curso 100% ONLINE de TRANSTORNO DO ESPECTRO AUTISTA.
CLIQUE AQUI e saiba mais.

COMPARTILHAR
    Comentários Blogger
    Comentários Facebook

0 comentários :

Postar um comentário